Por que criticar?

Pessoal,

antes de mais nada, desculpem a demora de mais de uma semana. Eu tava no rio com meus amgios e família… estado de exceção. Tinha que aproveita-los.

Estava com a ideia que criar um texto com essa temática há um bom tempo. Não consegui ter inspiração para escrever o texto que imaginei e portanto, apelei.
Pedi para o meu grande amigo, uma das pessoas mais brilhantes que eu conheço, escrever o texto em questão para mim, mentira, para nós.

Segue:

“PORQUE CRITICAR

Como vocês podem perceber pelo título esse texto vai defender a crítica. O nosso objetivo aqui é levantar algumas idéias porque é muito importante que se
reclame e reivindique. Pode parecer que o tema desse posto não tem relação com o blog. Afinal, o blog deveria falar de educação com foco nos problemas da UNIFEI. Mas se engana quem pensa assim. Quem sempre lê o blog já deve ter reparado que o tom da maioria dos artigos é crítico. Além disso, é de interesse do blog, que vocês, leitores, critiquem também. Mais de uma vez o Alexandre já deixou claro que não é o dono da verdade.
Mas sem os comentários críticos como ele pode saber onde errou? Então chamar vocês para criticar, faz parte da proposta do blog.
Para mostrar como é importante o ato de criticar, vamos fazer um exercício de pensamento. Vamos nos lembrar de como são os lugares onde a crítica é
proibida.
Eu sei que História não foi específica de vocês, mas tenho certeza que vão conhecer os exemplos. O mais antigo que eu consigo me lembrar é o ambiente da Europa, durante a idade média. Naquela época, por lá, o sistema era o Feudalismo. Para refrescar a memória, vale lembrar que no Feudalismo não existia mobilidade social. O sujeito deu sorte nasceu nobre, vai morrer nobre, e rico. Deu azar nasceu servo, vai morrer servo, e   pobre. E aquele que resolver criticar isso, reclamar dessa injustiça, esse morre mesmo.
Outros ambientes marcados pela falta de reclamações e críticas são aqueles sem liberdade de expressão. Essas coisas andam juntas. Quem pode esquecer o
nazismo e o fascismo? Quem criticasse os poderosos, se desse sorte era morto, se desse azar era   torturado até morrer. A mesma coisa aconteceu aqui, no nosso Brasil. Ausência de crítica, boca fechada, é coisa de ditadura, e não de democracia. Essa parte do texto foi   para ver o que acontece quando não pode ter crítica. Vamos ver agora, o que acontece quando pode. Não precisa fazer muito esforço para perceber que os países mais desenvolvidos são   democráticos. E isso é intimamente ligado ao poder de criticar. Votar é uma maneira de criticar. Votar em quem está no poder é dizer que faz uma crítica positiva
dele, votar contra isso, é fazer uma crítica negativa. Mas aqui no blog, vocês podem criticar com muito mais conteúdo. Não é só dizer gosto ou não gosto. Pode dizer o porquê, o que é muito importante. E se tiverem uma idéia de como resolver o problema, ainda podem deixar a sua sugestão.
Quando aqueles que estão fazendo alguma coisa de errado recebem uma crítica podem acontecer duas coisas. Ou, na melhor das hipóteses eles percebem que estão errados e mudam de comportamento, mesmo que fiquem chateados, ou contrariados por terem sido criticados. Ou, na pior das hipóteses eles não mudam de comportamento. Mas não há nada que resista para sempre. Se a crítica for contundente, e incomodar quem está sendo criticado, este mudará de comportamento, seja por bem ou por mal. Água mole em pedra dura tanto bate até que fura. A crítica é o instrumento que nós temos para destruir aquilo que nos faz mal e construir aquilo que vai trazer e manter o nosso próprio bem-estar.

E se por qualquer motivo você não gostou do meu texto critique ele, quem sabe o próximo não fica melhor?

Obrigado por lerem.

Pedro Vasconcelos Junqueira de Gomlevsky,
Estudante de Filosofia da UFRJ,
e grande amigo do Alexandre.”

Acho que ele foi bem feliz e suncito no seu texto. Concordo com tudo que ele disse, o que é de praxe, temos opiniões políticas muito parecidas.

A questão que não foi levantada, entretando e que eu acho muito importante é: O ambiente de autoritarismo gera a ausência de critica ou a ausência de
critica é responsável pelo aparecimento de regimes autoritarios?

Eu não sei nem se tem uma resposta simples, do tipo, ou este ou aquele. O que eu tenho certeza é que é uma coisa viciosa, retroalimentativa. Quanto mais um, mais do outro.
É extremamente importante para democracia, educação e trabalhos criticarmos. Também é importante sebermos criticar. Nossas criticas não podem ser ad
hominem. Não é ético criticar alguém por causa de sua cor de pele, trabalho,  posição social e qualquer coisa coisa. As criticas devem ser bem fundamentadas e sempre cautelosas com a pessoa criticada.

ps.: Nessa quinta-feira sai o meu primeiro programa da rádio, ouçam!

Abraços a todos,

Alexandre F. Rocha Barreto

About these ads

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s